29/05/09

Retocar ou não retocar, eis a questão!



Uso de Photoshop no mundo editorial.

O mundo editorial não seria o mesmo sem a ajuda do Photoshop. No final da década de 1990, o entusiasmo com os retoques tornou-se obsessivo, a ponto de revistas como a britânica “The Face” terem cunhado uma tendência: a hiper-realidade. As mulheres transformaram-se em estiletes humanos de faces imaculadas. A raiar o plástico. Mas a indústria parece reclamar agora um regresso ao natural. Um dos fotógrafos que ajudou a criar o fenómeno das supermodelos da década de 90, Peter Lindbergh, fotografou três ícones da beleza europeia – Monica Bellucci, Eva Herzigova e Sophie Marceau – para diferentes capas da edição francesa da “Elle” tal como elas são na realidade. Sem aditivos, nem conservantes, sob o título “Estrelas sem Dissimulação”. in Público. Toda a notícia aqui.


Foto: Uma das três capas possíveis da última edição da Elle francesa, Peter Lindberg.

~ 4 comentários: ~

Remus says:
at: 30 maio, 2009 11:39 disse...

Acho muito bem.
Hoje em dia a fotografia pura de retratos já não existe.

José Carlos Marques says:
at: 02 junho, 2009 18:16 disse...

O Photoshop veio apenas simplificar o que já se fazia. E tornar o processo muito mais imediato. Mas antes do Photoshop, e antes do clique até, tens a maquiagem, a luz, a própria modelo... tudo serve para que se sirva um fim. Qualquer pessoa com uma mente curiosa e um bocadinho de bom senso, deve conseguir perceber a diferença entre o real e o imaginado (transposto em imagem). Não nos vamos esquecer que, em Fotografia, o próprio facto da luz passar pela lente X ou Y já é manipulação!!! Quem deve dizer onde se deve parar então?

ruimnm says:
at: 03 junho, 2009 01:22 disse...

A resposta à tua pergunta é: ninguém!

Eu não tenho nada contra o uso de programas de tratamento de imagem, o que acho que se está a passar é o cansaço do falso: é o silicone, o photoshop, etc... e o que esta notícia vem dizer é que há públicos que estão fartos do plástico humano manipulado à exaustão.

Já diz o povo: "o que é demais é exagero..."

L.S.A. says:
at: 11 janeiro, 2013 12:59 disse...

Sou contra o exagero do photochop. para mim, a imagem para ser fotografia tem de ser real, de contrário será arte digital, como tal bonecas irreais... céus irreais... imagens onde entrou mais a fantafia do autor do que a fotografia.
Sou contra e penso que esta "arma" só serve para criar ilusões e não mostrar realidades.
Interessa ver o real, e não as ilusóes que o fotógrafo imaginou.
Pergunto...? Ao vermos cenas terríveis de reporteres fotográficos de guerra, podemos acreditar na realidade que nos mostra, depois de nos ter mostrado antes um lindo modelo que ao vermos real, na nossa frente não era assim tão lindo...?
A cena de guerra será real, ou imaginada?
Essa técnica devia ser usada só para endireitar uma imagem , ou cortar o que não faz falta na fotografia.
Por isso cada vez mais... a fotografia noa diz cada vez menos...!
Cumprimentos.

~ Enviar um comentário ~

+

Disto e Daquilo + popular do mês

Estes e Aqueles

Destes e Daqueles

Caixa de Arquivo

Siga por e-mail

Estes Que Gostam Disto

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.